Skip to main content

RAÍZES e LAÇOS

algumas famílias nordestinas
INÍCIO
FAMÍLIAS
PERSONAGENS
ENGENHOS
GENEALOGIA
FOTOS
QUEM SOU
CONTATO

RAÍZES E LAÇOS

      Montagem, por: Delano Carvalho


O objetivo deste site é compartihar os resultados das minhas pesqisas, não só com meus familiares, mas também com todos aqueles que como eu, buscam as suas raízes genealógicas. O foco principal é sobre as famílias Barros Carvalho, Correia de Almeida, Marroquim e Costa Carvalho. Delano Marroquim de Barros Carvalho


Última atualização: Julho, 2016

Desde a última atualização, em Abril de 2012, fizemos muito progresso nas pesquisas. Isso vai requerer muito tempo para atualizar as informações aqui constantes, mas devagarzinho chegaremos la.

Continuo aguardando a colaboração de amigos e familiares que queiram se unir a este trabalho. 
Entre em contato por aqui mesmo ou mande a sua contribuição para o meu email

ANTÔNIO DE BARROS CARVALHO
Senador Antônio de Barros Carvalho
Segundo filho do Coronel José de Carvalho e Albuquerque e Francisca Gouveia de Barros.
Nasceu no Engenho Camevou, em Palmares,
em  18/02/1898 e faleceu no Recife, em 
03/09/1966.

Foi Senador e Ministro da Agricultura, no governo de Juscelino Kubitscheck. Exercia ainda o mandato de Senador, quando faleceu.
 
Leia a síntese de Gerardo Mello Mourão,
seu genro, publicada no livro

" Um Senador de PE
- Breve Memória de Antônio de Barros Carvalho"
Topbooks Ed., 1999, 190 pp.
  

  LEONARDO ORLANDO DE BARRROS

Coronel Leonardo Orlando de Barros e Francisca Caraciola da Costa Gouveia
 
Coronel Leonardo Orlando de Barros e sua esposa Francisca Caraciola da Costa Gouveia (Francisca de Gouveia Barros, nome de casada).  - pais de Francisca Gouveia de Barros - casada com o coronel José de Carvalho e Albuquerque. Leonardo nasceu em Junho de 1846, em Sirinhaém e foi batizado em 28/12/1846 no Engenho Gravatá, tendo como padrinhos Sebastião da Cunha Accioly Lins e sua esposa Rosa Cordolina de Castro Sá Barreto.

Abolicionista, libertou seus escravos antes da Lei Áurea. Foi agricultor,  filósofo e poeta. Autodidata, falava fluentemente o Frances e o dialeto  indígena.
 
                                                                                

ENGENHO CAMEVOU - EM PALMARES

Casa grande da Usina Serro-Azul, no Engenho Camevou, em Palmares
CASA GRANDE DA USINA SERRO-AZUL, EM TERRAS DO ENGENHO CAMEVOU  Autor: Valdir Pedrosa
O Engenho Camevou pertenceu ao Capitão Leonardo Orlando de Barros e foi o berço da familia Barros Carvalho, entre 1896 e 1904, quando foi vendido ao Coronel José Piauhylino Gomes de Mello. Em suas terras, o novo dono implantou a Usina Serro-Azul.

ENGENHO SANTO ANTÔNIO - ÁGUA PRETA
 
Autor desconhecido.
Engenho Santo Antônio, situado entre Água Preta e Palmares, pertenceu ao
Coronel Leonardo Orlando de Barros, que o dotou a sua filha Francisca Gouveia de Barros ao caser-se ela com o Coronel José de Carvalho e Albuquerque. No Engenho Camevou e no Santo Antônio floresceu a família BARROS CARVALHO.

ASCENSO CARNEIRO GONÇALVES FERREIRA


Poeta Ascenso Ferreira

O nosso grande poeta do Ciclo da Cana de Açucar nasceu em Palmares, Pernambuco.

Lá mesmo casou-se com Maria Stella de Barros Griz, filha do também poeta Fernando Griz e Maria Estér de Barros - irmã de Francisca Gouveia de Barros, minha avó materna.


 
 
 



 
 Poeta Ascenço Ferreira (foto de autor desconhecido)

MARIA AMÉLIA CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE
Primeira médica a exercer a profissão, em Pernambuco

Doutora Maria Amélia Cavalcanti de Albuquerque "Amélia Doutora"
 
Autor: Fotografia Americana - Fonte: dominiopublico.com.br
Nasceu no engenho Dromedário, em Escada. filha de João Florentino Cavalcanti de Albuquerque Júnior e Herundina de Siqueira Cavalcanti. Foi uma mulher além do seu tempo, cuja inteligência, determinação e dedicação serviram de exemplo às suas conterrâneas.
Formou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e foi a primeira médica a praticar a profissão no Estado de Pernambuco.

LEIA MAIS



ORIGEM DA FAMÍLIA MARROQUIM

Ao final do século XVIII, o marinheiro português Antônio José Marroquim, natural de Coimbra, filho de Manoel José e Maria S. José, estabeleceu residência no Recife, onde casou em segundas núpcias com a pernambucana Ana Correia de Almeida (II), filha de Antônio Luiz de Abreu e Ana Correia de Almeida (I). Dedicou-se ele, então, ao comércio e à agricultura.
 
Um dos filhos do casal, Herculano Antônio José Marroquim, casou em 09/05/1841 com sua prima de 2o. grau Francisca Correia de Almeida, filha de Manoel de Barros Lindoso e Custódia Correia de Almeida - donos do Engenho Baeté, em Barreiros. O casamento foi realizado no Oratório do citado engenho e o assento eclesial registrado na Matriz de São Miguel [Livro de Casamentos No. 2, folhas 180v e 181].
 
LEIA MAIS


Casa grande do Engenho Baeté, em Barreiros - antiga Freguesia do Una - hoje nas malhas do NCRA, depredada e arruinada. Foto: Delano Carvalho - Junho 2009

Engenho Baeté - Vista de Barreiros
Da casa grande do engenho Baeté temos esta linda vista de Barreiros, do Rio Una e da Matriz de São Miguel. Certamente a mesma vista que Herculano Antônio José Marroquim e Francisca Correia de Almeida contemplaram, no dia de seu casamento. em 1841.
Foto por Delano Carvalho - Junho 2009.


DECEPÇÃO!


 

Lápide de Antônio de Carvalho Albuquerque - Cemitério Antigo de Palmares

Pelas circunstâncias da vida, me radiquei na Florida há mais de trinta anos. Em 2009 visitei Pernambuco, para matar as saudades, rever a família e adiantar minhas pesquisas. Fui ao  cemitério antigo de Palmares, em busca de meus ancestrais e fiquei altamente decepcionado e entristecido. O lugar está em pleno abandono e a capela descaracterizada, ocupada por pessoas pobres. Os túmulos estão quase todos destruídos, alguns desacrados e vi até  meninos brincando com os ossos dos nosssos antepassados. Caminhei cuidadosamente, para não pisar nas fezes humanas espalhadas por todo lado! Que vergonha!

 

A imprensa deveria ser alertada para expor esta situação, exigindo uma satisfação das autoridades civis e eclesiásticas responsáveis e uma rápida resolução do problema. Afinal, onde está o nosso respeito e veneração aos mortos?
Denuncie!

 

Foto por Delano Carvalho - Junho 2009.


 ANCESTRAIS - BARROS CARVALHO


Manuscrito de Francisco Cavalcanti de Albuquerque, que viveu entre fins do século XVIII e inícios do século XIX - contendo ancestrais da família Barros Carvalho.


PARTICIPE

Gostaria de incluir fotos antigas de nossos familiares e da época em que viveram, especialmente do século XVIII e XIX. Se voce tiver alguma, por favor não deixe de enviá-la para: dmbc@tampabay.rr.com